Consciência

Arnaldo Antunes / Edgard Scandurra

tire a mão da consciência e meta
no cabaço da cabeça
tire a mão da consciência e ponha
no buraco da vergonha
tire a mão e ponha o corpo todo no corpo da consciência
ponha ouvido orelha língua boca na cara da consciência
e umbigo na barriga dela
ponha olhos no colírio dela
ponha tripas na barriga
ponha olhos nos óculos dela

o cabelo o pelo a pele a perna o braço a carne o sangue pensa
a madeira o nervo a unha a terra a água o leite o peito pensa
o plástico o fogo o estômago o aço o osso o coração o cigarro o chiclete
o pano o papel a coluna a vértebra o músculo o vidro o fígado o cágado
a pedra pensa

tire a mão da consciência e meta a mão na consistência

tire a mão da consciência e meta
no cabaço da cabeça
tire a mão da consciência e ponha
na cabeça da vergonha
tire a mão da consciência e meta no cabaço da cabeça
ponha oxigênio e gás carbônico no ar da consciência
e comida na barriga dela
ponha olhos nas lágrimas dela
e ossos por dentro da carne, carne por dentro da pele dela.

tire a mão da consciência e meta a mão na consistência


© Melody Nelson Publishing / Flerte Fatal

65666968, “Ninguém”, Arnaldo Antunes, BMG, 1995
Consciência
Ouça a música
em Ninguém, 1995 �udio
em A_AA, 2012 �udio