Follow antunes_arnaldo on Twitter









   fotos para divulgação
   crédito obrigatório: Fernando Laszlo









Site - Contato
 
Nenhum evento.

Arnaldo Antunes: poesia, intimismo e diversão no Silêncio
Pedro Salgado

Uma sala bem composta e um genuíno interesse do público pela arte do cantor paulista ajudaram à revisitação da carreira de Arnaldo Antunes, que actuou no sábado à noite no Cinema São Jorge, em Lisboa, num concerto inserido na programação do Festival Silêncio. O espectáculo «Dois Violões» consagrou o intimismo, a festa e o poder da palavra, servidos em doses equilibradas e apropriadas. Cerca de 1h30 bastaram para entender a identidade do músico.

Apresentar um espectáculo de revisão da matéria dada e apoiado em duas guitarras e uma voz pode ser um exercício de digestão complicada. Quando esse alguém dá pelo nome de Arnaldo Antunes e tem uma carreira de quase 30 anos pode-se legitimamente falar num desafio. Essa era de facto uma das grandes curiosidades em redor da sua actuação. Passados 10 minutos da hora marcada, os guitarristas Chico Salem e Betão Aguiar entraram no palco e em conjunto com a figura da noite interpretaram uma versão a meio gás, mas com algumas harmonias vocais interessantes, de «Fim do Dia».

A boa estrela do ensemble musical continuou com «Sem Você», uma composição de Antunes com Carlinhos Brown, bem ritmada, divertida e em que o cantor aproveitou para fazer as suas coreografias meio desengonçadas e rodopiantes, que fariam as delícias do público que se deslocou à sala principal do Cinema São Jorge, em Lisboa. Seguiu-se a muito popular «Saiba», num registo que não destoou do álbum homónimo do músico paulista, mas marcadamente arrastada e bucólica.

No intervalo entre as canções, Arnaldo Antunes aproveitou para declamar algumas poesias temáticas, seria assim com «Pensamento», «Sol», «Abraço» ou «Corpo», criando uma atmosfera de suspanse magistralmente gerida. Pouco antes de apresentar dois temas do álbum «Iê Iê Iê», o seu mais recente trabalho, fez a habitual saudação ao público lisboeta, referindo ser «uma alegria estar em Lisboa e apresentar um show alternativo».

O primeiro grande momento da noite veio ao som de «Consumado», uma parceria de Antunes com os seus colegas dos Tribalistas, em que o antigo membro dos Titãs abandonou o palco para passear pelo público, entoando repetida e emotivamente: «Fiz uma chanson d´amour / Fiz um love song for you / Fiz una canzone per te / Para impressionar você. Depois de passar em revista um tema da sua antiga banda, «Não Vou me Adaptar», o músico paulista alargou a parceria com os espectadores na versão acústica de «Socorro» e as estrofes «Qualquer coisa que se sinta / Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva» ecoaram pela sala do famoso cinema lisboeta.

Celebrando, de algum modo, o facto de actuar em território português, Arnaldo Antunes cantou um tema composto a meias com Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, dos Clã, e com o seu guitarrista Carlos Salem, concretamente «Num Dia». O concerto terminou com a hipnótica «O Silêncio» e o cantor despediu-se com um «Obrigado Lisboa !». No encore, o músico brasileiro presenteou o público com a quarta canção retirada do álbum «Um Som», «Engrenagem», uma dançante e roqueira versão de «Judiaria», de Lupicínio Rodrigues, e um must para os puristas dos Titãs com o clássico «O Pulso».

No meio do abraço colectivo e das palmas finais percebe-se que a palavra cantada de Arnaldo Antunes é a antítese do silêncio mais ensurdecedor.


Disco Digital: 19.06.2011
 
 

Arnaldo Antunes faz show em Lisboa

Já não é tribalista, mas continua a animar o público português. O músico brasileiro Arnaldo Antunes é o protagonista da noite deste sábado na programação do Festival Silêncio, que decorre em Lisboa para celebrar a palavra, a poesia e a música cantada e falada.

Arnaldo Antunes mostra o show Dois violões e será acompanhado, precisamente nestes dois violões, por Chico Salem e Betão Aguiar. O concerto deste sábado será na Sala 1 do Cinema São Jorge, na Avenida da Liberdade, a partir das 22h.

O espetáculo retoma músicas desde o tempo dos Titãs, como Eu não vou me adaptar, passando por canções compostas em parceria com Paulos Miklos (Fim do Dia) ou com os companheiros dos Tribalistas, Marisa Monte e Carlinhos Brown (Consumado),

Intimista, mas não menos carismática e enérgica, esta passagem de Arnaldo Antunes por Lisboa marca também o lançamento do CD/DVD Ao Vivo Lá em Casa, um álbum em registro caseiro com muitos amigos e convidados especiais à mistura, com o selo da Transformadores e do próprio Festival Silêncio.

Intimista, mas não menos carismática e enérgica, esta passagem de Arnaldo Antunes por Lisboa marca também o lançamento do CD/DVD Ao Vivo Lá em Casa, um álbum em registo caseiro com muitos amigos e convidados especiais à mistura, com o selo da Transformadores e do próprio Festival Silêncio.


Diário de Pernambuco: 18.06.2011
 
 

Arnaldo Antunes leva dois violões a Lisboa

O músico brasileiro regressa aos palcos portugueses. Actua este sábado em Lisboa no Festival Silêncio, onde se poderá recordar temas do tempo dos Titãs.
Lisboa - Já não é tribalista, mas continua a animar o público português. O músico brasileiro Arnaldo Antunes é o protagonista da noite deste sábado na programação do Festival Silêncio, que decorre em Lisboa para celebrar a palavra, a poesia e a música cantada e falada.

Arnaldo Antunes dará a voz no espectáculo "Dois violões" e será acompanhado, precisamente nestes dois violões, por Chico Salem e Betão Aguiar. O concerto deste sábado será na Sala 1 do Cinema São Jorge, na Avenida da Liberdade, a partir das 22h.

O espectáculo retoma músicas desde o tempo dos Titãs, como Eu não vou me adaptar, passando por canções compostas em parceria com Paulos Miklos (Fim do Dia) ou com os companheiros dos Tribalistas, Marisa Monte e Carlinhos Brown (Consumado), segundo informou a produção.

Intimista, mas não menos carismática e enérgica, esta passagem de Arnaldo Antunes por Lisboa marca também o lançamento do CD/DVD Ao Vivo Lá em Casa, um álbum em registo caseiro com muitos amigos e convidados especiais à mistura, com o selo da Transformadores e do próprio Festival Silêncio.

Os bilhetes para o concerto estão à venda em www.ticketline.pt e nas bilheteiras do Cinema São Jorge e Musicbox Lisboa, entre outros locais.


África 21 Digital: 17.06.2011
 
 

Arnaldo Antunes leva dois violões a Lisboa

O músico brasileiro regressa aos palcos portugueses. Actua este sábado em Lisboa no Festival Silêncio, onde se poderá recordar temas do tempo dos Titãs.

Lisboa - Já não é tribalista, mas continua a animar o público português. O músico brasileiro Arnaldo Antunes é o protagonista da noite deste sábado na programação do Festival Silêncio, que decorre em Lisboa para celebrar a palavra, a poesia e a música cantada e falada.

Arnaldo Antunes dará a voz no espectáculo "Dois violões" e será acompanhado, precisamente nestes dois violões, por Chico Salem e Betão Aguiar. O concerto deste sábado será na Sala 1 do Cinema São Jorge, na Avenida da Liberdade, a partir das 22h.

O espectáculo retoma músicas desde o tempo dos Titãs, como Eu não vou me adaptar, passando por canções compostas em parceria com Paulos Miklos (Fim do Dia) ou com os companheiros dos Tribalistas, Marisa Monte e Carlinhos Brown (Consumado), segundo informou a produção.

Intimista, mas não menos carismática e enérgica, esta passagem de Arnaldo Antunes por Lisboa marca também o lançamento do CD/DVD Ao Vivo Lá em Casa, um álbum em registo caseiro com muitos amigos e convidados especiais à mistura, com o selo da Transformadores e do próprio Festival Silêncio.

Os bilhetes para o concerto estão à venda em www.ticketline.pt e nas bilheteiras do Cinema São Jorge e Musicbox Lisboa, entre outros locais.


Portugal Digital: 17.06.2011
 
 
 
504 registros:  |< < 86 87 88 89 90 91 92 93 > >|